As duas vidas de Audrey Rose

Resenha - As duas vidas de Audrey Rose

As duas vidas de Audrey Rose
As duas vidas de Audrey Rose
Título: As duas vidas de Audrey Rose
Autor: Frank de Felitta
Nota: 3,8
Sinopse: Janice e Bill Templeton são um casal que vive feliz com sua filha única, a bem-comportada pré-adolescente Ivy. Essa imagem de família feliz começa a ser decomposta com a chegada do estranho Elliot Hoover. Depois de suspeitas de que ele pretende molestar Ivy, Hoover tenta convencer aos pais que seu interesse (quase uma obsessão) pela garota é apenas paternal. Para ele, a menina é a reencarnação de sua filha, falecida em um terrível acidente, quando ela ficou presa no automóvel e morreu entre as chamas. Coisas estranhas começam a acontecer a partir desse momento e a vida de Bill e Janice com sua Ivy jamais voltará a ser como antes.

Filmes e livros de terror são um terror na minha vida, não gosto e não vou gostar… Será?

Não posso dizer que já tenha lido algum livro de terror, afinal as sinopses ajudam muito a fugir do que não queremos, em relação à filmes algumas vezes me confundi achando que veria um bom suspense e… medo!!! Esse é o caso de As duas vidas de Audrey Rose.

Lá pelo final dos anos 90 assisti este filme com amigos e me marcou o medo assustador e tenebroso que senti durante várias semanas, passados os anos sempre que se fala em filmes de terror eu penso logo neste. Então eis que encontro o livro que originou o filme na biblioteca onde trabalho e confesso que sentia um leve mal estar sempre que passava por ele ou me lembrava do infeliz parado ali na prateleira. Um belo dia decidi que me resolveria com essa história, afinal a memória tende a piorar em muito as lembranças ruins e talvez se eu lesse o abençoado eu percebesse enfim que se trata de uma história comum. 

Eis meu relato desse livro de terror

O livro se passa nos anos 70 em Nova York e conta a história da família Templeton, Janice, Bill e a filha Ivy então com dez anos de idade. Os Templeton são normais ao nível da chatice, até que um estranho começa a persegui-los, principalmente a garotinha fazendo seus pais suspeitarem que o estranho seja um pedófilo obcecado por Ivy. Descobre-se afinal que este homem é Elliott Hoover, o pai de uma garota morta há dez anos em um acidente de carro e que ele acredita que Ivy é a reencarnação de sua filha.

Começa aí uma trama forte e sim, assustadora em vários momentos. Enquanto o pobre Elliott Hoover tenta convencer o casal Templeton de que quer apenas conviver com Ivy, o que convenhamos é bem bizarro, vamos acompanhando em paralelo as viagens que ele fez para a Índia enquanto tentava se curar da dor da perda e a descoberta de novas religiões que o fizeram acreditar em reencarnação, Karma e essas crenças todas.

Nada de spoilers

Sem Spoilers, posso dizer apenas que Ivy sofre de crises de sonambulismo e pesadelos e essas são as partes em que senti um certo desconforto, vulgarmente conhecido como “um medo dos infernos”.

Ainda evitando Spoilers, há uma segunda parte no livro em que ocorre um julgamento e esta parte pode parecer muito chata para a maioria dos leitores pois foge um pouco do foco, que é o terror. Eu gostei, mas tenho uma queda pelo jurídico então sou suspeita para falar.

No fim, posso dizer que venci meu pavor, o livro é bom, bem escrito e acho que só dormi de luz acesa na primeira noite depois da leitura (óbvio que eu só peguei no livro durante o dia).

E para quem gosta de curiosidades interessantes, deixo duas:
  1. A primeira é sobre rumores de que o livro é baseado em uma história real que aconteceu com o próprio autor.
  2. A segunda é sobre a capa do livro, a atriz Brooke Shields “que era tipo uma Jennifer Lawrence da época” serviu de modelo para a capa, porém não foi convidada para viver a personagem Ivy no filme, para a tristeza dos pequenos fãs.
Enfim, este livro foi lido, aprovado e recomendado, e meus mais terríveis medos foram acalmados!

Vanessa Paiva

Comentários