Obras de Machado de Assis

Todas as obras de Machado de Assis com links para download

Todas as obras de Machado de Assis
Todas as obras de Machado de Assis

"Está morto: podemos elogiá-lo à vontade”, diz o narrador de O Empréstimo, conto de Machado de Assis

Quem foi Machado de Assis?

Joaquim Maria Machado de Assis foi um escritor brasileiro nascido em 21 de junho de 1839 e considerado por muitos o maior nome da literatura brasileira.

Machado de Assis veio de família pobre e nunca frequentou uma faculdade. Foi fundador e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras. Ele também conseguiu ser notado de maneira bem precoce em jornais onde publicou suas primeiras poesias e crônicas.

Sua extensa obra constitui-se de dez romances além de duzentos contos, dez peças teatrais, cinco coletâneas de poemas e sonetos, e mais de seiscentas crônicas. Hoje vamos listar aqui no Protótipo Literário seus dez romances em ordem cronológica para aqueles que vierem a se interessar, juntamente com o link para download, já que essas obras caíram em domínio público.

Deixarei também os links para comprar na Amazon assim você ajuda o blog a crescer e ainda aumenta sua coleção de livros, caso seja amante do livro físico e ache essa coisa de livro digital uma loucura sem fim.

Os dez romances de Machado de Assis

Ressureição, 1872

Bem-vindo ao universo extraordinário de Machado de Assis, um dos maiores vultos da literatura Luso-Brasileira de sempre. Nesta edição de Ressurreição, trazemos até si a melhor edição esta admirável peça literária do final do século XIX, e início do século XX.

Ressurreição é o primeiro romance de Machado de Assis, publicado em 1872. Embora considerada uma obra da primeira fase, romântica, do autor, seu romantismo é contido, moderado, sem os excessos sentimentais, reviravoltas na trama e final feliz da obra tipicamente romântica.
Ressurreição trata-se mais de um romance psicológico, onde, mais importante que a intriga, é "estudar o caráter e o comportamento" dos personagens. Como o próprio Machado de Assis, na "Advertência da Primeira Edição", deixa claro: "Não quis fazer romance de costumes; tentei o esboço de uma situação e o contraste de dois caracteres; com esses simples elementos busquei o interesse do livro."

Ressurreição conta a história do Doutor Félix, passada no Rio de Janeiro do século XIX. Viana, seu amigo, apresenta-lhe a irmã Lívia, uma bela mulher, viúva há dois anos, mãe de um menino de cinco anos. E assim estão lancadas as bases para o primeiro romance de Machado de Assis, e para uma carreira literária sem igual na literatura Brasileira.
Esperamos que tenha tanto prazer a ler esta obra clássica quanto aquele que nós, Cascais Classic Editions, tivemos a trazer-lha até si.

Ressureição - Download


A Mão e a Luva, 1874

Guiomar é uma jovem de origem humilde, afilhada de uma baronesa e que deseja ascender socialmente. Ela é disputada por três homens: Jorge, Estevão e Luís Alves. Sobre Machado de Assis: Joaquim Maria Machado de Assis ( 1839 - 1908) foi um escritor brasileiro, considerado o maior nome da cultura nacional. Escreveu em praticamente todos os gêneros literários e é considerado o introdutor do Realismo no Brasil, com a publicação de Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881). 

A crítica moderna chama de trilogia realista os três romances que marcaram um novo estilo na obra de Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881), Quincas Borba (1891) e Dom Casmurro (1899), e que decisivamente também inovaram a literatura brasileira, introduzindo o Realismo no Brasil e precedendo outros elementos da literatura contemporânea. Hoje Machado de Assis é considerado um dos grandes gênios da história da literatura, ao lado de autores como Dante, Shakespeare e Camões.

A Mão e a Luva - Download


Helena, 1876

Pertencente à fase romântica do autor, Helena já anuncia traços que fariam de Machado de Assis o grande nome do realismo brasileiro. Publicado em 1876, Helena pertence à primeira fase da obra de Machado de Assis. No romance, a protagonista de origens humildes é reconhecida em testamento como filha e herdeira do conselheiro Vale, um homem importante da elite carioca do Segundo Império. 

Após o espólio do pai vir à tona, Helena passa a viver na mansão da família do Vale com uma tia e Estácio, filho legítimo do conselheiro. Estácio não apenas aceita a meia-irmã como lhe devota um profundo e crescente carinho, por ela correspondido. Ao drama de incesto abordado por Machado no romance, soma-se ainda o tema das conflituosas relações de classe no Brasil do século XIX, coroados por um final surpreendente.

Helena - Download


Iaiá Garcia, 1878

Publicado no ano de 1878, é considerado como a última obra da fase romântica do escritor. O espaço em que a história se passa é Santa Teresa, bairro tradicional do Rio de Janeiro. O tempo se dá em meados de 1800, entre o desenrolar da Guerra do Paraguai e o seu final, durante os anos de 1865 e 1870. O trecho abaixo deixa claro o período em que a história se passa:
‘’Luís Garcia transpunha a soleira da porta, para sair, quando apareceu um criado e lhe entregou esta carta:
‘’5 de outubro de 1866. [...]’’

Iaiá Garcia - Download


Memórias Póstumas de Brás Cubas, 1881

Brás Cubas está morto. Mas isso não o impede de relatar em seu livro os acontecimentos de sua existência e de sua grande ideia fixa: lançar o Emplasto Brás Cubas. Deus te livre, leitor, de uma ideia fixa. O medicamento anti-hipocondríaco torna-se o estopim de uma série de lembranças, reminiscências e digressões da vida do defunto autor.

Publicado em 1881, escrito com a pena da galhofa e a tinta da melancolia, Memórias Póstumas de Brás Cubas é, possivelmente, o mais importante romance brasileiro de todos os tempos. Inovador, irônico, rebelde, toca no que há de mais profundo no ser humano. Mas vale avisar: há na alma desse livro, por mais risonho que pareça, um sentimento amargo e áspero.

A edição da Antofágica conta com 88 ilustrações de um dos expoentes da arte no Brasil, Candido Portinari, que chegam pela primeira vez ao grande público e dão uma nova camada de interpretação ao clássico.

O livro traz ainda com notas inéditas e posfácio de Rogério Fernandes dos Santos, especialista na obra machadiana, um perfil do autor escrito por Ale Santos (@savagefiction), além de uma introdução de Isabela Lubrano, do canal Ler Antes de Morrer.

Memórias Póstumas de Brás Cubas - Download


Casa Velha, 1885

Bem-vindo ao universo extraordinário de Machado de Assis, um dos maiores vultos da literatura Luso-Brasileira de sempre. Nesta edição de Casa Velha, trazemos até si a melhor edição esta admirável peça literária do final do século XIX.

Casa Velha é uma novela de Machado de Assis, publicado em folhetins na revista carioca A Estação, de janeiro de 1885 a fevereiro de 1886.
A obra nunca tem o tempo de discurso revelado; porém, o tempo de diegese se passa nos anos de 1838 e 1839. Com o fim de escrever um livro sobre a história do Primeiro Reinado, um cônego procura conhecer uma casa onde morou um ex-ministro, na qual havia papéis que o ajudariam na sua pesquisa.

Durante esta pesquisa, o cônego tornou-se grande amigo da família, ficando íntimo dela, inclusive. Deste modo, vê na amizade de Félix - filho da dona da casa, D. Antônia - e Lalau - praticamente, agregada da casa - uma possível paixão.

Contudo, esta união não era possível, pois D. Antônia, embora considerasse Lalau como filha, não aceitava que eles ficassem juntos devido à relação social de ambos.
Embora tenha sido publicado na fase dita realista do autor, supõe-se que Machado de Assis tenha aproveitado material não-publicado de sua fase romântica.

Esperamos que tenha tanto prazer a ler esta obra clássica quanto aquele que nós, Cascais Classic Editions, tivemos a trazer-lha até si.
Deixe-se levar pelos sonhos...
Oliver Garrett

Casa Velha - Download


Quincas Borba, 1891

Um dos três grandes romances da fase realista de Machado de Assis, que narra as desventuras do provinciano Rubião, herdeiro do filósofo incompreendido Quincas Borba, na capital do Império. Leitura obrigatória do vestibular da Fuvest.

Publicado pela primeira vez em livro em 1891, depois portanto de Memórias póstumas de Brás Cubas (1881) e antes de Dom Casmurro (1899), Quincas Borba é uma das obras mais marcantes da fase realista de Machado de Assis.

Talvez por se situar justamente entre esses dois monumentos da obra machadiana, o romance muitas vezes foi considerado uma realização menor, uma espécie de mera continuação das Memórias póstumas - para irritação de seu autor, que em um raro comentário sobre a própria ficção afirmou que a presença do personagem Quincas Borba era “o único vínculo” entre os dois livros. Mais do que ao marco inaugural do Realismo no Brasil, porém, Quincas Borba remete ao Machado contista que começava a abordar temas historicamente mais próximos de sua época e a explorar os conflitos psicológicos de seus personagens com sua sofisticada e irônica narrativa em terceira pessoa presente em contos clássicos como “A cartomante” e “A causa secreta”.

Neste romance da maturidade do autor, a história do provinciano Rubião - herdeiro da fortuna do idiossincrático filósofo Quincas Borba - e dos tipos urbanos da corte que o levam à ruína é narrada com o distanciamento, o ceticismo e o senso de humor implacável de que só Machado de Assis era capaz. Esta edição de Quincas Borba, além de mais uma centena de notas explicativas, traz uma extensa e abrangente introdução do britânico John Gledson, estudioso da obra machadiana e tradutor de Dom Casmurro para o inglês.

Quincas Borba - Download


Dom Casmurro, 1899

Dom Casmurro, romance publicado em 1899 pela Livraria Garnier, continua a ser um dos livros mais famosos de Machado, sendo considerado um dos mais fundamentais de toda a literatura brasileira.

Seu personagem principal é Bento Santiago, o narrador da história que, contada em primeira pessoa, pretende "atar as duas pontas da vida", ou seja, unir relatos desde sua juventude até os dias em que está escrevendo o livro. Entre esses dois momentos Bento escreve sobre suas lembranças, sua vida no seminário, seu caso com Capitu e o ciúme que advém desse relacionamento, que se torna o enredo central da trama.

Ambientado no Rio de Janeiro do Segundo Império, se inicia com um episódio recente onde o narrador recebe a alcunha de "Dom Casmurro", daí o título do romance. Machado de Assis o escreveu utilizando ferramentas literárias como a ironia e uma intertextualidade que alcança Schopenhauer e sobretudo a peça "Otelo", de Shakespeare.

Dom Casmurro - Download


Esaú e Jacó, 1904

Como ler Machado de Assis (1839-1908), o grande escritor brasileiro, autor de uma obra tão rica quanto múltipla, que tudo disse sobre o Brasil e a natureza humana. Esta nova edição de Esaú e Jacó, romance publicado em 1904, apenas quatro anos antes da morte do autor, tem o objetivo de auxiliar o leitor a penetrar no mundo e a conhecer a mente de Machado de Assis.

Revista e cortejada com a edição crítica do Instituto Nacional do Livro estabelecida pela Comissão Machado de Assis, traz, além de notas abundantes e de fácil compreensão, um farto material que possibilita um melhor entendimento sobre o autor e sua obra: uma biografia, uma cronologia, um panorama cultural do Rio de Janeiro e um mapa da época.

Esaú e Jacó conta a história de dois gêmeos da alta burguesia carioca separados desde a mais tenra idade pela inimizade e pelas diferenças: Pedro, dissimulado e cauteloso, e Paulo, arrojado e impetuoso. Ambos, porém, apaixonados pela mesma mulher: Flora, a inexplicável.

Às vésperas da Proclamação da República, o autor, por meio dos embates e das desventuras dos irmãos (um monarquista, o outro, republicano), pinta um retrato melancólico, mas por vezes também hilariante, da política e da alma brasileira. Requintado do ponto de vista narrativo e profundamente crítico, este romance faz jus à maturidade do maior prosista brasileiro.

Esaú e Jacó - Download


Memorial de Aires, 1908

Memorial de Aires é o último romance escrito por Machado de Assis, publicado no mesmo ano de sua morte, 1908. Está organizado como uma série de entradas em um diário e, como Memórias Póstumas de Brás Cubas, não tem um enredo único, mas compõe-se de vários episódios e anedotas que se inter permeiam.

Aires era um conselheiro que sempre acompanhou Machado em suas histórias, geralmente como um amigo dos personagens. Reportava à figura do próprio Machado. Nesta obra, idolatra uma mulher, D. Carmo, que possivelmente possa ser inspirada em Carolina Augusta Xavier de Novais, o que é sugerido talvez pela coincidência dos nomes Aguiar e Assis, D. Carmo e Carolina, e também pelo fato do casal não ter filhos. Diz-se que se trata de obra machadiana de maior de caráter autobiográfico.

Memorial de Aires - Download


Aqui nos despedimos de Machado de Assis

Espero que tenha aproveitado essa breve viagem pelo mundo dos romances de Machado de Assis. O objetivo aqui era oferecer todas as obras em ordem cronológica e de maneira acessível a todas as pessoas, elas podendo comprar o livro ou não.

Que tal ler e refletir sobre porque esses livros são tão pedidos em vestibulares de todo o país?

Carinhosamente
Marcos Mariano

Comentários