Lançamentos Companhia das Letras 2020

Companhia das Letras
Companhia das Letras
Fundada em 1986 por Luiz Schwarcz e Lilia Moritz Schwarcz nos fundos da gráfica Cromocart, que pertencia ao avô de Luiz, a editora surgiu com foco original em literatura e ciências humanas, sempre atenta à qualidade do texto, das traduções, do projeto gráfico e do acabamento em todas as etapas do processo de edição. Rumo à Estação Finlândia, do americano Edmund Wilson, foi um dos quatros primeiros títulos publicados e logo se tornou um grande sucesso; no total foram 48 lançamentos no primeiro ano. Hoje são 16 selos dedicados aos mais variados segmentos.

Ao longo dos anos, a editora selou importantes parcerias, entre elas a com os irmãos Moreira Salles, que se tornaram sócios em 1989. Em 2009, foi a vez de cruzar o Atlântico e se juntar à Penguin para lançar a coleção de clássicos universais e nacionais no mercado brasileiro. Em 2011, a Penguin adquiriu 45% das ações da Companhia das Letras. (Em 2013, a Penguin se fundiu com a Random House, criando a Penguin Random House, o maior grupo editorial do mundo).

Da junção da editora paulista Companhia das Letras com a carioca Objetiva, em 2015, nasceria o Grupo Companhia das Letras, que reúne o mais expressivo acervo de escritores e poetas brasileiros — de Chico Buarque a Jorge Amado, de Ruy Castro a Roberto Pompeu de Toledo, de João Ubaldo Ribeiro a João Cabral de Melo Neto, de Carlos Drummond de Andrade a Milton Hatoum — e um catálogo estrangeiro que prima por prêmios Nobel e pesos-pesados da literatura: Amós Oz, Fernando Pessoa, Haruki Murakami, Italo Calvino, J. M. Coetzee, Jorge Luis Borges, Mario Vargas Llosa, Oliver Sacks, Orhan Pamuk, Philip Roth e Salman Rushdie. Sem falar do grande time de autores de não-ficção, como Andrew Solomon, Daniel Goleman, Gay Talese, Simon Montefiore, Thomas L. Friedman, Walter Isaacson, Tony Judt, entre outros.

Querido por leitores de variadas idades, perfis e formações, o Grupo Companhia das Letras chega a 2016 como líder de mercado, segundo a Nielsen, congregando 1,5 milhão de seguidores via redessociais, com alcance mensal de 10 milhões de usuários pelas diversas plataformas digitais em que atua. A editora apostou desde o início no livro digital e hoje já tem mais de dois mil títulos convertidos em e-book.

O Grupo Companhia das Letras inaugurou um moderno depósito de seis mil metros quadrados em 2015, em Guarulhos (SP), e distribui seus livros em todo o território nacional, de forma rápida e eficiente. Possui também representantes de vendas nas principais regiões do país.

A Companhia das Letras valoriza a importância da diversidade e acredita no seu papel como uma editora mais plural e inclusiva.

Seus 200 funcionários trabalham divididos em dez departamentos a fim de garantir a publicação de cada um de seus livros sem perder de vista a ênfase na imaginação, na qualidade e na experiência de leitura característica de cada título.

O grupo conta com diversos selos e um incrível programa de parcerias do qual nosso blog literário um dia fará parte. Hoje gostaria de apresentar a vocês os principais lançamentos da Companhia das Letras em 2020.

O grande livro dos gatos - 30/03/2020


Autor: Vários autores
Arte: Ale Kalko
Sinopse: Um pequeno grande livro para os amantes de gatos. Bichanos se esparramando pelo sol, felinos endiabrados e gatinhos falantes são apenas alguns exemplos do que o leitor encontrará nesta deliciosa coletânea.

Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem, mas precisamos concordar que são os gatos os melhores amigos da literatura. Grandes escritores como Patricia Highsmith, Raymond Chandler e Haruki Murakami são conhecidos por seu amor e dedicação aos bichanos. Nesta coletânea, estão reunidos os contos mais clássicos sobre a relação dos felinos com a humanidade.
Desde Théodore de Banville, passando por Émile Zola, Charles Perrault, Honoré de Balzac, Edgar Allan Poe, H. P. Lovecraft, Guy de Maupassant, Arthur Conan Doyle e muitos outros, os gatos são protagonistas dessas histórias cheias de mistério, reviravoltas e… sonecas. Bem ao estilo felino.

Contos presentes nessa coletânea:
  • O gato, Théodore de Banville
  • A gata persa da Tia Cynthia, Lucy Maud Montgomery
  • O paraíso dos gatos, Émile Zola
  • O gato de botas, Charles Perrault
  • Penas de amor de uma gata inglesa, Honoré de Balzac
  • O gato preto, Edgar Allan Poe
  • Os gatos de Ulthar, H. P. Lovecraft
  • Sobre os gatos, Guy de Maupassant
  • O gato, Mary E. Wilkins Freeman
  • O gato-brasileiro, Arthur Conan Doyle
  • A fase felina de Maurice, Edith Nesbit
  • Vida e opiniões filosóficas de um gato, Hippolyte Taine
  • O gato que caminhava só, Rudyard Kipling
  • Tobermory, Saki
  • Tom Vieiro, Mark Twain
  • Gato, Banjo Paterson
  • A gata branca, Edith Nesbit

O cérebro intuitivo: Os processos inconscientes que nos levam a fazer o que fazemos - 25/03/2020


Autor: John Bargh
Arte: Eduardo Foresti
Sinopse: Escrito por um dos maiores especialistas no estudo dos processos inconscientes do cérebro, este livro nos apresenta uma nova compreensão dos processos mentais ocultos que governam os mais diversos aspectos de nossas vidas.

John Bargh revela como o inconsciente guia nosso comportamento, objetivos e motivações em áreas como relacionamento, educação dos filhos, negócios, hábitos de consumo e vícios. Segundo o autor, se compreendermos as forças psicológicas que nos influenciam diariamente, poderemos melhorar nosso sono, nossa memória e ter mais qualidade de vida. O cérebro intuitivo é uma fabulosa jornada pelo mundo que existe sob a superfície da consciência e que é a chave para desvendarmos novas maneiras de pensar, sentir e agir.

“Esplêndido e convincente.” ― Malcolm Gladwell, autor de Fora de série e Blink

“Um livro fascinante e provocador da maior autoridade mundial na ciência da mente inconsciente.” ― Daniel Gilbert, autor de "O que nos faz felizes".

O nascimento da tragédia: ou Os gregos e o pessimismo - 01/04/2020


Autor: Friedrich Nietzsche
Arte: Jeff Fisher
Sinopse: Primeiro livro de um dos maiores filósofos do século XIX, O nascimento da tragédia despertou polêmica pela ousadia da abordagem e pela militância estética em favor de Wagner, mas se tornou uma das obras mais influentes do século XX. A Companhia das Letras o lança agora numa nova tradução, assinada por Paulo César de Souza.

Publicado no início de 1872, em meio a controvérsias, O nascimento da tragédia teve grande influência nos estudos sobre a Antiguidade, na filosofia e nas artes do nosso tempo.

Estimulado pela metafísica de Schopenhauer e pelas concepções e composições de Richard Wagner, Nietzsche distingue duas correntes na cultura grega, a apolínea e a dionisíaca, e discute a natureza da cultura em geral, a relação entre arte, sofrimento e conhecimento, e as precondições para o ressurgimento da grande arte trágica, que traria consigo a renovação do mundo.

A nova edição vem acompanhada do texto “Verdade e mentira no sentido extramoral”, de 1873, que prenuncia a crítica da razão e da linguagem que Nietzsche desenvolveria em obras da maturidade, e conta com posfácio de André Luís Mota Itaparica.

Amorhumorumor: Haikai & senryu - 16/03/2020


Autor: Alice Ruiz S
Arte: Elisa Von  Randow
Sinopse: Nesse conjunto de poemas breves, brevíssimos, Alice Ruiz S e Rodolfo Guttilla se propõem a um desafio: depois de longas prosas, concentrar tudo em três linhas de poesia.

Ao resgatar, atualizar e subverter as regras do haikai e do senryu, formas japonesas clássicas construídas por três versos, Alice Ruiz S e Rodolfo Guttilla estabelecem um diálogo delicioso, ágil e surpreendente. Com humor e inteligência, as palavras cintilam e reluzem no papel ― de poeta para poeta.

“Com sua conversa de versos, fluxo de flashes, partilha de redondilhas, troca de truques, permuta de estímulos, escambo de lampejos, Alice e Rodolfo nos ofertam, em tempos efêmeros de Twitter, um tantinho do eterno.” ― Arnaldo Antunes

Mortina e o amigo fantasma: 3 - 13/03/2020


Autor: Barbara Cantini
Sinopse: Em sua terceira aventura, Mortina enfrentará grandes desafios para ajudar o simpático fantasminha que um dia surge no Palacete Decrépito.

Quem será que é o menino-fantasma que fica tentando entrar no Palacete Decrépito logo antes da festa de Ano-Morto? Quando Mortina o encontra, o grande mistério continua, porque o próprio fantasminha não lembra de seu nome e não sabe quem é! E isso o coloca em risco de desaparecer para sempre… A menina-zumbi vai fazer de tudo para ajudar o seu novo amigo e descobrir sua história. Não vai ser fácil, mas Mortina gosta muito de desafios ― principalmente desses um tanto sobrenaturais.

Nesse terceiro volume, um novo personagem passa a fazer parte do universo encantador ― e um tantinho assustador ― de Mortina.

Este livro é indicado para crianças a partir de 6 anos.

O Livro Que Você Gostaria Que Seus Pais Tivessem Lido - 28/02/2020


Autor: Philippa Perry
Sinopse: Neste livro completo, inteligente e bem trabalhado, a renomada psicoterapeuta Philippa Perry revela o que realmente importa e quais comportamentos evitar – a cartilha essencial para pais. Compre e ganhe um lindo post-it de leitura (sujeito a disponibilidade de estoque). Todos os pais querem que seus filhos sejam felizes, sem errar na educação. Mas como atingir esses objetivos? Em vez de mapear um plano “perfeito”, Philippa Perry oferece um olhar geral sobre como desenvolver relacionamentos de qualidade. Sem julgamentos e regras, Perry ensina a: * entender como sua própria criação afeta sua relação com seus filhos; * aceitar que irá cometer erros e entender o que pode fazer a respeito deles; * dar fim a ciclos e padrões de comportamento negativos; * lidar com os próprios sentimentos, assim como os de seus filhos; * entender o que comportamentos diferentes comunicam. Repleto de conselhos sábios, este é um livro que todos os pais vão desejar ler e cada filho gostará que seus pais tenham lido.

O fazedor de velhos 5.0 - 28/02/2020


Autor: Rodrigo Lacerda
Arte: Raul Loureiro
Sinopse: Mais de uma década depois da publicação do aclamado O fazedor de velhos, Rodrigo Lacerda retoma a história de Pedro nesta sequência extraordinária. Um sensível e brilhante romance de formação.

Prestes a completar cinquenta anos, parte da vida adulta de Pedro já se passou, e, como costuma acontecer, incluiu um punhado de tristezas e fracassos. Seu casamento com Mayumi não correu como o esperado, mas eles tiveram três filhos: Carlos, o mais velho, é também o mais problemático; Estela, a do meio, é uma estudante universitária, politicamente engajada e confrontada com um grande desafio de amadurecimento; e André, o caçula, é, nas palavras do pai, “uma mistura química de resultados imprevisíveis”. A eles se juntam novos e incríveis personagens, como Filomena, uma milionária excêntrica, de coração ainda maior do que sua conta bancária; Rodolfinho “Puccini”, um editor e colecionador de arte; e, por fim, José Roberto, o namorado de Estela, líder estudantil em um cenário político conturbado, que guarda ecos das manifestações de 2013 e de tudo que o Brasil viveu desde então. Embora este O Fazedor de Velhos 5.0 seja independente do livro anterior, o leitor terá a chance de constatar, não sem ternura, que a autodescoberta e o amadurecimento se dão em todas as idades. Nunca cessamos de aprender e de mudar ― é o que parece nos dizer a todo momento este romance emocionante, escrito por um dos principais autores da literatura contemporânea brasileira.

Aleph - 01/03/2020


Autor: Paulo Coelho
Arte: Alceu Chiesorin Nunes
Sinopse: Um relato franco e avassalador de uma impressionante jornada de autodescoberta. O que fazer quando é preciso mudar tudo para seguir em frente mas não se sabe como?

Em Aleph, Paulo Coelho nos leva em uma viagem pela África, Europa e Ásia, passando a maior parte do tempo nos trilhos da rota transiberiana no deserto russo. Ele parte nessa viagem, pois, após anos de sucesso, se vê preso à sensação de estar perdido e insatisfeito, em uma estagnação que o faz repensar toda sua vida.

No meio do caminho, ele encontra Hilal, uma jovem violinista que amou 500 anos antes e cuja traição o persegue até hoje. Juntos, eles iniciam uma viagem mística através do tempo e espaço, que os leva ao encontro de seus medos e pecados, à busca por amor e perdão e que traz a coragem para superar os inevitáveis desafios da vida.

Aleph nos convida a considerar o significado de nossas próprias jornadas.

As Valkírias - 28/02/2020


Autor: Paulo Coelho
Arte: Alceu Chiesorin Nunes
Sinopse: Por que nós destruímos aquilo que mais amamos? E como podemos aprender a deixar o passado para trás e acreditar no futuro? Paulo Coelho busca as respostas para essas perguntas em seu livro As Valkírias, em que narra sua jornada espiritual pelo deserto de Mojave.

Os eventos neste livro se passam entre os dias 5 de setembro e 17 de outubro de 1988 e narram a real e impressionante história de Paulo em busca de seu anjo da guarda, o único que pode libertá-lo de uma terrível maldição. Com sua esposa, Paulo atravessou o perigoso deserto de Mojave nos Estados Unidos e nos revela uma história de mitos, verdades, imaginação e inspiração, em um raro combo virtuoso.

Enfrentando tanto a luz quanto a escuridão, Paulo Coelho encara os próprios anjos e demônios em um livro sobre autodescoberta, relacionamentos, amor e espiritualidade.

“Com a força do nosso amor e da nossa vontade nós podemos mudar o nosso destino e o de muitos outros.” ― Paulo Coelho, As Valkírias

Meninos de Zinco - 28/02/2020


Autor: Svetlana Aleksiévitch
Arte: Daniel Trench
Sinopse: A brutalidade da guerra soviético-afegã é retratada neste livro extraordinário, com o olhar sempre preciso e humano de Svetlana Aleksiévitch.

Entre 1979 e 1989, as tropas soviéticas se envolveram em uma guerra devastadora no Afeganistão, que causou milhares de baixas em ambos os lados. Enquanto a URSS falava de uma missão de “manutenção da paz”, levas e levas de mortos eram enviadas de volta para casa em caixões de zinco lacrados. Este livro apresenta os testemunhos honestos de soldados, médicos, enfermeiras, mães, esposas e irmãos que descrevem os efeitos duradouros da guerra.

Ao tecer suas histórias, Svetlana Aleksiévitch nos mostra a verdade sobre o conflito soviético-afegão: a destruição e a beleza de pequenos momentos cotidianos, a vergonha dos veteranos que retornaram, as preocupações com todos que ficaram para trás. Publicado pela primeira vez em 1991, Meninos de zinco provocou enorme controvérsia por seu olhar perspicaz e angustiante sobre as realidades da guerra.

“A proeza de Aleksiévitch elevou a história oral a uma dimensão totalmente diversa.” ― Antony Beevor

Um lugar só nosso - 03/032020


Autor: Maurene Goo
Arte: Tamires Cordeiro
Sinopse: Durante um fim de semana em que fingem ser outras pessoas, Lucky e Jack vão viver um romance digno de uma canção de sucesso.

Lucky ingressou muito cedo no universo do K-pop. Aos dezessete anos, ela é uma febre na Ásia e a grande aposta de sua gravadora para conquistar o Ocidente ― mas ainda tem dúvidas de que essa é a vida que realmente deseja. Por isso, em uma noite pouco antes de viajar para os Estados Unidos, ela resolve sair disfarçada de um hotel em Hong Kong para fazer tudo o que quiser.

É então que Lucky encontra Jack, um jovem paparazzo. Sem saber que está ao lado de uma das maiores celebridades do momento, ele acompanha a garota pela cidade e os dois desenvolvem uma conexão especial, mas Jack logo se vê num dilema quando percebe que tem o maior furo de sua carreira bem à sua frente.

Em um fim de semana repleto de música e reviravoltas, os dois se aproximam e aprendem muito um com o outro ― mas as mentiras entre eles podem colocar tudo a perder.

Aqui dizemos adeus, ou até logo

Espero que aproveitem esses lançamentos da Companhia das Letras para 2020, e espero também que eles  me notem na seleção de parceiros em 2021, supondo que o covid-19 não acabe com a população do planeta. 

Carinhosamente
Marcos Mariano

Comentários